Conceitos digitais inovadores para desenvolver seu negócio na internet!

Blog

7 pontos essenciais que você precisa avaliar antes de abrir sua loja virtual

.:: 7 pontos essenciais que você precisa avaliar antes de abrir sua loja virtual ::.
20/08/2019

Como vem sendo notícia desde o início do mês, o Brasil hoje conta com quase um milhão de lojas virtuais — sendo 45% compostas por uma única pessoa. Isso aponta uma tendência de pessoas sem experiência anterior entrando no mundo do e-commerce como uma alternativa profissional e financeir

a. No entanto, ao mesmo tempo que esse número vem crescendo exponencialmente, o resultado final muitas vezes é a falência em curto prazo ou os ganhos limitados por questões básicas não serem contempladas.

Antes de abrir a sua própria loja virtual, é recomendado uma avaliação dos principais pontos necessários para a sua operação e manutenção. É necessário definir alguns pontos, como: o tipo de produto que irá vender; como irá estocá-lo; markup ideal para ter lucro; as estratégias necessárias para gerar leads; os direitos do consumidor que deverão ser respeitados; abrangência de entrega; forma de entrega e meios de pagamento. A análise dessas questões é essencial para garantir que o investimento realmente tenha retorno.

1 – Produto

Em muitos dos casos surge o desejo de abrir uma loja virtual ainda sem saber o que será comercializado. Para definir isso, é importante fazer uma pesquisa de mercado e tentar projetar como será o armazenamento. Vender cervejas artesanais requer cuidados diferentes de vender bijuterias, por exemplo.

2 – Precificação

É comum quem não tem experiência com vendas e marketing, acreditar que o menor valor é sempre o que atrai clientes. Estratégias inteligentes — como atendimento de excelência e confiabilidade — atraem clientes. Porém, o preço final do produto precisa primordialmente cobrir os seus custos e lhe trazer lucro.

Calcule todos os custos que terá por produto e defina o markup. Lembre-se de deixar uma margem própria para ações pontuais. Assim, poderá promocionar um produto sem prejudicar a saúde financeira do seu negócio.

3 – Plataforma

Existem diversas plataformas disponíveis no mercado: as gratuitas, as pagas, as que necessitam de maior desenvolvimento e as que são de mais fácil manuseio. O ideal é pesquisar bem e procurar ver como é o painel de controle da plataforma e qual o grau de dificuldade — especialmente para atualizar a comunicação e realizar o cadastro de produtos, que são demandas recorrentes.

4 – Estratégia de marketing

Se para o plano de negócios é imprescindível a criação de personas, na hora de criar as estratégias de marketing é ainda mais. A comunicação e os anúncios deverão estar em locais onde a sua persona estará. E é a partir deste ponto que será determinado se o seu investimento será no LinkedIn ou no Instagram, se será unicamente online ou também em canais offline.

Cada tipo de negócio necessita de uma estratégia específica, não adiantando somente replicar fórmulas prontas. Ainda assim, é necessário ter em mente a diferenciação entre campanhas de branding e de conversão, além das estratégias por etapas do funil de vendas.

5 – Logística

O tipo de produto irá determinar também o tamanho do estoque necessário. Produtos virtuais, por exemplo, não ocupam espaço físico e podem ser entregues de modo imediato, sem custo ou com baixo custo se considerado o uso de alguma plataforma de e-mail marketing. Os produtos físicos, dependendo das suas dimensões e necessidades de armazenamento, podem ocupar pequenas metragens ou galpões inteiros.

Já a entrega, dependendo do porte do produto e da estratégia da empresa, poderá ser feita por transportadoras, por motoboys em regiões próximas ou pelos Correios. Inclusive, com cálculo automático por meio de integração com a tabela vigente.

6 – Direito do consumidor

Vendas pela internet possuem leis específicas e é preciso ficar atenta a elas. Vão desde o tamanho mínimo da fonte para apresentação do preço do produto e de informações claras quanto às características, à mais conhecida “direito do arrependimento”. Aqui, o cliente tem até 7 dias úteis após o recebimento do pedido para desistir da compra. Isso, independente do motivo, cabendo ao lojista arcar com o ônus da logística reversa.

7 – Meios de pagamento

Na hora de escolher a melhor solução para pagamentos digitais é importante verificar as taxas pagas por transações e também para antecipação. É comum quem não tem experiência anterior com vendas não saber que quando um cliente paga parcelado, na verdade, o lojista também recebe parcelado caso não solicite antecipação.

Além disso, é importante se atentar também às questões de fraudes, possibilidade de checkout transparente e às modalidades de pagamento e bandeiras aceitas por cada empresa na hora de escolher qual será a contratada para realizar as operações da sua loja virtual.

Tendo definido os principais pontos, é a hora então de executar o projeto e começar realmente a vender online, com mais tranquilidade e segurança. Muitas novas lojas optam também por vender dentro de marketplaces. E também pode ser uma alternativa interessante, já que é um caminho para ganhar visibilidade por meio de outros sites já consolidados, com tráfego próprio. Um projeto bem desenhado antes de ser executado reduz os riscos de erros e, portanto, de prejuízos.

Fonte: E-commerce Brasil

  • Voltar